Carência de Plano de Saúde

Escrito por
Juliana Mello
|
16.1.2020

A idéia deste post é esclarecer as principais dúvidas dos clientes quando falamos sobre as carências de Plano deSaúde.

É muito comum que durante o processo de contratação de um plano médico, algumas pessoas fiquem surpresas ao descobrir que antes de utilizar a maioria dos serviços oferecidos, precisam aguardar o período de carência do plano. Pois é... você não sabia que isso existia? Existe e está escrito no contrato!

Por isso vou explicar como tudo funciona.

O que é carência de Plano de Saúde e quais são os prazos?

Carência = prazo que o cliente deve aguardar para começar a utilizar os serviços oferecidos pelos planos de saúde mesmo pagando as mensalidades.

Prazo = período máximo determinado pela ANS (Agencia Nacional de Saúde Suplementar):

  • 24 horas para urgência e emergência;
  • 180 dias para exames e consultas(normalmente as operadoras reduzem para 30 dias- veja abaixo);
  • 180 dias para internações e cirurgias;
  • 300 dias para parto (10 meses);
  • 24 meses para doenças preexistentes.

Vale ressaltar que os prazos acima são os limites máximos determinados mas as operadoras podem estabelecer seus próprios períodos desde que não ultrapasse os prazos acima.

Por exemplo: muitas operadoras reduzem o prazo de exames e consultas para 30 dias e não 180 dias como se determina. Por isso é muito importante ao pesquisar os planos, conhecer e comparar os prazos de carência de cada um deles. Mas se estiver no site da Benefy, fica mais fácil pois nós já lemos todos os contratos das operadoras e colocamos as informações de carências em cada plano para facilitar aos nossos clientes.

Existe algum plano que não possui carência?

Todos os planos possuem carência mas existem algumas exceções. Nos planos empresariais coletivos com mais de 30vidas (funcionários + dependentes) as operadoras isentam algumas carências mantendo algumas vezes as carências para parto e para doenças preexistentes. Se você não possui plano empresarial com mais de 30 vidas, você pode conseguir carência no momento da portabilidade do plano atual afinal boa parte das carências já podem ter sido cumpridas. (se quiser entender mais sobre portabilidade, fizemos um blog dedicado!)

A operadora pode exigir carências extras?

Não existe nenhuma regra estabelecida pelaANS que permite que as operadoras estabeleçam novos períodos quando já foi realizado o cumprimento exigido. A carência de plano de saúde mais longa é de 2 anos. Após isso, você poderá fazer uso total de todos os benefícios que a sua operadora lhe prometeu no momento da contratação.

Vamos falar um pouco mais sobre as 2 principais carências?

1. Carência para parto (para planos hospitalares com obstetrícia)

Normalmente o prazo de carência de parto é de 300 dias, ou seja 10 meses. O que isso significa? Significa que se a pessoa ficar grávida no período da carência, poderá realizar todos os exames e estará assegurada em casos de emergência mas precisará arcar com as despesas do parto.

E como fazer neste caso? Temos aqui três opções:

  • Contratar o plano mesmo com a carência: a pessoa poderá fazer os exames e, durante os primeiros 30 dias de vida, o bebê poderá usufruir de todos os benefícios do plano sem nenhum custo adicional. Após este período, ele deverá ser incluído como dependente.
  • Não trocar de plano quando souber que alguma gravidez.
  • Sempre incluir novos colaboradores e respectivos dependentes até 30 dias após o início do contrato pois caso este prazo não seja respeitado, o funcionário terá de cumprir a carência contratual e aguardar 300 dias para fazer quaisquer procedimentos relacionados ao parto. Este item vale também para filhos adotivos recém nascidos ou adotados com menos de 12 anos.

Mas não existe alguma alternativa? O corretor pode tentar um acordo com a operadora do plano de saúde  e solicitar um valor extra na mensalidade para a isenção das carências mas nem sempre ele consegue.

Ah… vale lembrar que isso tudo é para plano com cobertura obstétrica.

 

2. Carência para doenças pré-existentes

O que é uma doença pré-existente? São aquelas doenças que a pessoa já sabe que tem antes de assinar o contrato com um plano de saúde e que identifica na“declaração de saúde”. Por exemplo: diabetes, hipertensão, doenças do coração, etc.

A doença pré-existente nunca deve ser ocultada na declaração de saúde pois pode ser motivo de cancelamento do Plano caso a operadora comprovado a existência anterior.

Qual é a carência para doença pré-existente?

A carência de doenças pré-existentes é de até 2 anos e é determinada pelo plano de saúde para cada doença específica.Isso significa que durante dois anos o plano de saúde pode, por direito, manter as coberturas (CPT – cobertura parcial temporária). Essas coberturas podem ser para procedimentos de alta tecnologia, cirurgias e até mesmo internações sempre que tiverem relação com uma doença preexistente. Somente após esse período de 24 meses é que se poderá contar com a cobertura integral do plano e realizar todos os procedimentos necessários para o acompanhamento e tratamento da doença pré-existente.

Para não cumprir os prazos de carência existe a possibilidade do agravo, que prevê o pagamento de um valor adicional para conseguir a isenção. Mas geralmente esta alternativa tem um custo muito alto. Pois como este aditivo não é regulamentado pela ANS, ele deve ser um acordo entre o beneficiário e a operadora e, deve necessariamente estar descrito no contrato (percentual, valor a ser cobrado e o período de duração do agravo).

Acho que é isso… Mas se ficou alguma dúvida, é só perguntar que respondemos.

VOLTAR
© 2020 Benefy Blog. Todos os direitos reservados.