Benefy | Menu

Reajustes de planos de saúde.

Como são calculados os reajustes dos planos de saúde de até 29 vidas?

"O cálculo do reajuste será baseado na Variação dos Custos Médico-Hospitalares (VCMH) + Índice de Sinistralidade de todos os planos da operadora com até 29 vidas + Prêmio por Mudança de Faixa Etária."

Vamos entender o que significa:

1. VCMH = variação dos custos médicos e hospitalares.

É o índice que indica a inflação médica e é medido pelo Instituto de Saúde Suplementar. Ele sempre é maior que a inflação! E isso não acontece somente no Brasil… em outros países ele também é mais alto até porque ele considera 4 itens:

• Período de apuração – 12 meses

• Custo das operadoras – gasto (%) com exames, consultas, internações e terapia

• Amostra – 10% dos beneficiários distribuídos em todas as regiões

• Ponderação – ponderação por padrão de plano

Ou seja, a única coisa que dá para entender é que o reajuste será com certeza acima da inflação e que é o maior dentre todos os setores da economia.

2. Índice de Sinistralidade

É o reajuste de acordo com a utilização do plano de saúde pelos colaboradores/usuários. Ou seja, é preciso compensar os gastos que foram realizados com atendimento que superaram o previsto para o período.

Meio polêmico não? Afinal, como saber o que foi utilizado e o que estava previsto? Será que existem dados claros que consigam justificar este aumento? Eu não sei te dizer… o que consigo ajudar é explicando que existem duas  situações diferentes dependendo do número de vidas e que interfere diretamente neste índice:

1. Contratos empresariais (PME) com menos de 30 vidas: o ajuste é calculado através de um “bolsão da operadora” (carteira de clientes) ou seja todos os contratos com menos de 30 vidas são agrupados e analisados resultando em um índice de aumento único a ser aplicado para todos os clientes.

2. Contratos empresariais com mais de 30 vidas: a negociação é feita diretamente entre a empresa e a operadora. Neste caso se analisa a sinistralidade apenas da empresa através de um estudo de utilização do plano. Neste cenário, as campanhas de orientação e qualidade de vida são muito importantes para reduzir a sinistralidade.

3. Mudança de Faixa Etária

Este item é fácil explicar: se você muda de faixa etária, você paga mais no plano de saúde. A justificativa é que as visitas médicas ficam cada vez mais frequentes com a idade. Entenda as faixas de idades da tabela:

0 a 18 anos
19 a 23 anos
24 a 28 anos
29 a 33 anos
34 a 38 anos
39 a 43 anos
44 a 48 anos
49 a 53 anos
54 a 58 anos
59 anos +

Vale ressaltar que os valores da última faixa etária não deve ser superior a seis vezes o valor da primeira.

Mas não tem um limite para os aumentos?

Pois é…não. A ANS – Agência Nacional da Saúde que é o órgão responsável por fiscalizar os aumentos abusivos não tem grande poder de

interferência.

Quando os reajustes são aplicados?

Normalmente no mês de maio já se tem uma ideia do percentual de reajuste de cada operadora. Nos planos de PME, os reajustes são aplicados no mês de aniversário do contrato (em outras palavras, no mês que assinou o contrato), já nos planos de adesão, o reajuste é aplicado em maio, independente do mês que foi assinado o contrato.

Veja como foi o reajuste dos planos em 2019 para contratos com menos de 30 vidas:

Amil 18,85 %
Bradesco 15,76 %
Careplus 16,32 %
Omint 15,79 %
Porto Seguro 17,17 %
Seguros Unimed 12,63 %
SulAmérica 16,34 %

E se o reajuste ficar muito alto, o que fazer?

O jeito é buscar algumas alternativas como troca de plano ou até mesmo a modalidade de coparticipação.

Resumindo: os reajustes para planos de até 29 vidas acontecem no mês a assinatura do contrato e levam em consideração: inflação médica + mudança de faixa etária + sinistralidade de todas as empresas com menos de 29 vidas da seguradora.

Benefy | Logo
Benefy | LinkedInBenefy | FacebookBenefy | InstagramMedium_Benefy
Benefy | SUSEPBenefy | ANS
Sobre nós
Como funciona
Blog
Descomplica
Voltar para o site